terça-feira, 8 de março de 2011

a nova face da Granja, ou na peugada de Sérgio Pereira



Para nós, nortenhos, a Granja é uma espécie de foz do Douro para fins de semana y época balnear. 
Ou seja, fina e rica.
Feliz ou infelizmente, cada qual o saberá, fineza e riqueza mudaram. De mãos. De lugares. De apetites.


O New Faces, restaurante bar lounge, é a face comidinha e bebites :D da reincarnação das piscinas da Granja, promovida pela Gaianima (LF Meneses y sus $ en acción, y, neste caso, parece ter sido investido uma boa quantidade deles). Abriu em Outubro de 2010 e prepara-se para a primeira summer season. Em newfaces.com.pt poderão saber todos os detalhes.


O chef consultor é Marco Gomes (Foz Velha) que aprecio bastante.
Mas, a razão principal desta chronicle é o Sérgio Pereira, o sumiller cuja carreira recente passou pelo Degusto (Matosinhos) e Bhule (Porto). 
(Para quem se interessa por comidas e vinhos, as aventuras e desventuras do grupo Vinho e Coisas é sem dúvida um romance interessante que, imagino eu, algum dia há de ser escrito. Entre as peripécias de relevo, a constante revolução que foi o Degusto constitui, sem dúvida, um expoente)
Foi no Degusto, pós Manuel Moreira, que comecei a apreciar o trabalho do Sérgio. Uma carta de vinhos enorme, bastantes vinhos a copo, preços sensatos, excelente serviço de vinhos. E depois, importantíssimo e decisivo no prazer de uma refeição, a ligação de tudo isto com a comida.
No Bhule a história é outra, desde logo porque os preços são de outro campeonato. Só lá fui uma vez, bom mas diferente.
todos os vinhos da Carta de Vinhos à temperatura correcta


Neste New Faces, o Sérgio é um ator principal, tendo participado na definição dos espaços e valências, equipamentos e funcionalidades. Destacou, como princípio fundamental, a relação preço/qualidade que pretendem em todas as áreas. Como exemplo, referiu a Carta de Vinhos, com muitos preços semelhantes às garrafeiras.


a sala de jantar tem 200º de vista mar

É um restaurante transparente, vidro e mais vidro. Ideal para um jantar de verão, mas atenção, vale a pena ir cedo para se disfrutar deste belo recanto do Atlântico. Infelizmente, ao almoço só está disponível buffet. Mas, se isso não for problema, é de aproveitar pela vista e possibilidade de passear.


Este New Faces foi para nós uma forma de acabar este período de carnaval com um disfarce de gourmet :D
So, optamos pelo menu de degustação.
Há uma variedade de belos pães à escolha (azeitona, tomate, cebola, queijo), acompanhados de patê de azeitona preta e atum.


pata negra com gelado de tomate
gambas enroladas em batata, guacamole

Estas belas gambas substituíram o pata negra aqui p'ró vegan, a batata é um fio enrolado na gamba e depois deepfried com elas. Crocante e saboroso.

trouxa de queijo de cabra, maçã confitada, pinhões, redução de moscatel

Esta proposta foi magnífica, excelente ligação queijo, maçã, pinhão e moscatel.
Até aqui bebemos o Luís Pato Informal 2009, um espumante de bolha fina e bom gastrónomo. Depois passamos ao Nossa 2009 (a terceira edição deste vinho da Filipa Pato e William Wouters). Adoro o Nossa (acho que o nome da company da Filipa e William é Vinhos à Doida, fazem outro branco, Bossa). É um daqueles vinhos que nos faz pensar, fuck andamos todos enganados, afinal este país é de vinhos brancos! :D 
O Nossa 2009 é 100% Bical e se já dá muito prazer a beber, vai estar enorme daqui a uns anos. Parabéns ao casal de Óis de Antwerpen :D


bacalhau a baixa temperatura, puré de grão de bico, cebolinha, tomate confitado

Abrimos, oops o Sérgio abriu, o Quinta dos Roques Touriga Nacional 08 a tempo do bacalhau,  boa textura e "lascagem", clássica a combinação com o grão de bico, bem o pormenor das cebolinhas, e depois de declarmos oficialmente morto o Frei João 1970, no qual depositava grande esperança. E, logo a abrir, mostrou uma cor cheia de promessas, de vinho 20 anos mais novo. Mas, que fazer, morto por volátil! Verdadeiramente uma pena pois ainda dava para perceber a bela matéria deste vinho. 
Passemos a coisas mais felizes, este Touriga 2008 dos Roques é um dos melhores de sempre da finca do Luís Lourenço. Sendo bem presente o carácter do Tourigo do Dão (sim, é a nossa Touriga Nacional, a uva allgarve, ou é a world of difference? :), tem um grande equilíbrio e frescura, com estrutura para uns bons anos de vida feliz. Boa malha.


lombo de novilho, massa crocante, cogumelos, molho de foie gras (no veggie comments :)
  
O vinho que acompanhou as sobremesas (para além da que fazia parte do menu de degustação o Sérgio deu-nos a oportunidade de degustar outras propostas), todas em bom nível, foi uma novidade para mim, Quinta do Valdoeiro 2005 colheita tardia. Boa acidez, pouco doce, bem interessante.


crepe de arroz doce, pêra bebâda em LBV, gelado de canela


Nossa 2009, Frei João 1970 (dreafully dead) e Quinta dos Roques Touriga Nacional 2008

Sérgio Pereira, mc @New Faces, Piscinas da Granja

A pergunta do Sérgio, "Acham fácil vir do Porto aqui para jantar?" é muito pertinente e, claro, essencial para o futuro deste projeto. Não sei o que vos parece. Está tudo muito deprimido e em crise aqui na Líbia, hmm, na Tugolândia. É evidente que não se vai à Granja num pé e vem no outro. Mas, não é do outro lado do mundo. Numa ocasião especial, quando o apetite por algo mais sério e elaborado soar, vale bem a pena a viagem. 
Nós vamos voltar.
Gracias, Sérgio



1 comentário:

Jorge disse...

É bem pertinho. É so pegar no carro, andar 3 minutos e estou lá. E se não tiver condições ou vontade de regressar, basta ir a penantes para casa da sogra - são outros 3 minutinhos.
por isso, hei-de lá ir. Já agora, €€€ sensatos, ou é só nos vinhos?

 
eXTReMe Tracker